Relocalização Mundial

transition-network

Por que as Iniciativas de Transição são necessárias

Em resposta ao duplo desafio do Pico do Petróleo e da Mudança Climática, algumas comunidades pioneiras na Grã-Bretanha, Irlanda e outras localidades assumiram uma abordagem integrada e inclusiva para reduzir suas pegadas de carbono e aumentar sua capacidade de resistir à mudança fundamental que acompanhará o Pico do Petróleo.

Este documento traz uma visão geral dessas iniciativas de transição para um futuro de baixo uso de energia e de níveis mais altos de resiliência comunitária. Este documento teve origem na Rede de Transição (Transition Network), uma instituição criada recentemente para que se possa edificar algo em cima do trabalho pioneiro (revolucionário) de Kinsale, Totnes e outras localidades que adotaram o modelo de Transição.

Nossa missão é inspirar, informar, apoiar, formar redes e treinar comunidades que cogitem adotar e implementar uma Iniciativa de Transição. Estamos desenvolvendo uma grande variedade de materiais, cursos de treinamento, eventos, ferramentas e técnicas, recursos e uma ampla capacidade de apoio para ajudar essas comunidades.

Estamos nos momentos iniciais, portanto, temos um longo caminho pela frente. Mas entendemos que a tarefa é gigantesca e vamos dar tudo o que podemos.

strapline transition

Como Estabelecer sua Iniciativa de Transição – os 7 “Mas”

A próxima seção (12 Passos) lhe dará um mapa geral para esta jornada, mas antes você terá que navegar através das barreiras iniciais, reais e imaginárias que aparecem no seu caminho. Nós chamamos estas barreiras de “Os 7 Mas”.

Mas não temos fundos…

Isto não é realmente um problema. Levantar fundos é uma desculpa esfarrapada para entusiasmo e envolvimento com a comunidade – sendo que ambos o levarão a passar pelas primeiras fases de sua transição. Patrocinadores também  podem querer algum tipo de controle e conduzir a iniciativa para direções contrárias aos interesses comunitários.
Nós mostraremos como pode-se assegurar de que o seu processo gere a quantidade adequada de fundos. Não estamos falando de fortunas – sua Cidade em Transição não terá ações nas Bolsas de Valores mas, como me disse o designer de ecovilas Max Lindeggar anos atrás, “se um projeto não tiver um lucro, terá um prejuízo”.
A Cidade em Transição Totnes começou a trabalhar em setembro de 2005 sem fundos e tem se autofinanciado desde então. As palestras e exibições de filmes que fazemos levantam dinheiro para subsidiar eventos gratuitos como os dias de Open Space. Você chegará a um ponto em que terá projetos específicos que exigirão patrocínio, mas até lá você dará um jeito. Conserve-se no poder se isso acontecer …não deixe que a falta de financiamento o detenha.

Mas eles não nos deixam…

Há um certo temor entre ecologistas de que qualquer iniciativa bem-sucedida em provocar
mudanças será interrompida, suprimida, atacada por burocratas sem identiddae ou por corporações.
Se esse medo for grande o suficiente para impedir que você aja, se a única coisa que você está pronto para fazer é abdicar do poder que tem em favor de alguns “eles” imaginários, então provavelmente você está lendo o documento errado. As Cidades em Transição, por outro lado, operam “fora do alcance dos radares”, não procuram vítimas nem fazem inimigos. Assim, elas não parecem despertar a ira de instituições já existentes.
Ao contrário, com as grandes corporações cada vez mais alertas em relação à sustentabilidade e à Mudança Climática, você ficará surpreso ao ver quantas pessoas que ocupam posições de poder se entusiasmarão e se inspirarão nesse tipo de ação, e ainda apoiarão e não obstruirão seus esforços.

Mas já há grupos verdes nesta cidade e eu não quero tomar o lugar deles…

Entraremos nesse assunto com mais detalhes no Passo 3, abaixo. Mas, essencialmente, você seria extremamente azarado se tivesse que enfrentar uma batalha campal. A sua Iniciativa de Transição deve elaborar um objetivo comum e um senso de propósito para os grupos existentes; sendo que você pode descobrir que alguns estão um tanto esgotados e vão apreciar muito a nova vitalidade que chega. Uma ligação com uma rede de grupos já existentes para criar um Plano de Ação para o Declínio de Energia realça e dá objetivo ao seu trabalho, em vez de apenas fazer uma cópia ou a substituição de algo existente. Espere que eles se tornem alguns de seus maiores aliados, fundamentais para o sucesso de sua Transição.

Mas de qualquer forma ninguém nesta cidade se preocupa com meio ambiente…

Pode-se facilmente perdoar quem pensa assim, diante da apática cultura consumidora que nos cerca atualmente. Mas, logo abaixo da superfície, pode-se descobrir que as pessoas mais surpreendentes são entusiásticas advogadas de alguns dos elementos-chave das Iniciativas de Transição – alimentos locais, artesanato local, história local e cultura.
A dica é ir até eles, em vez de esperar que venham até você. Procure o que têm em comum e você descobrirá que sua comunidade é um lugar bem mais interessante do que pensava.

Mas certamente é tarde demais para fazer alguma coisa…

Pode ser que seja tarde demais, mas o mais provável é que não seja. Isso significa que seus esforços (e dos outros) são absolutamente fundamentais. Não permita que a desesperança seja uma sabotagem aos seus esforços – como diz Vandana Shiva: “A incerteza dos nossos tempos não é motivo para se ter certeza da desesperança”.

Mas eu não tenho os requisitos necessários …

Se você não tem, quem terá? Não importa que você não tenha um mestrado em sustentabilidade ou anos de experiência em jardinagem ou planejamento. O importante é que você se importa com o local em que vive, que percebe a necessidade de agir e que está aberto a novas maneiras de atrair as pessoas.
Se houvesse uma exigência de qualificações para alguém que fosse iniciar esse processo, uma lista de qualidades poderia incluir:
• Ser positivo
• Ser bom com pessoas
• Ter um conhecimento básico do local e de algumas pessoas-chave da cidade.

Isso na verdade é o suficiente. Afinal de contas, você está prestes a projetar seu próprio legado ao processo desde o princípio (ver Passo # 1), portanto sua função nesta etapa é como um jardineiro preparando o solo para o jardim, que você pode ou não estar por perto para ver.

Mas eu não tenho energia para fazer isso!

Como diz a citação freqüentemente atribuída a Goethe: “Seja qual for o seu sonho, comece. Ousadia tem genialidade, poder e magia!” A experiência de dar início a uma Iniciativa de Transição mostra com certeza que este é o caso. A idéia de preparar seu município (ou cidade, vila, vale ou ilha) para a vida pós-petróleo pode ter implicações inacreditáveis, mas existe alguma coisa na energia desencadeada pelo processo de uma Iniciativa de Transição que é incontrolável.
Você pode se sentir esmagado pela perspectiva de tanto trabalho e complexidade, mas vai aparecer gente para ajudar. Na verdade, muita gente fala das sincronicidades de todo o processo e de como as pessoas certas aparecem na hora certa. Há alguma coisa que emerge ao assumir aquela ousadia, do saltar do “por que ninguém faz nada?” para o “vamos fazer alguma coisa” – e isso gera a energia que faz avançar.

Freqüentemente as iniciativas que visam melhorias ambientais parecem um carro quebrado que deve ser empurrado ladeira acima: um trabalho árduo, difícil e sem recompensas. Cidades em Transição são como estar do outro lado – o carro começa a andar mais depressa do que você, e continua acelerando o tempo todo. Depois que você der o empurrão no alto da ladeira, ele vai desenvolver seu próprio ritmo. Isso não quer dizer que às vezes não seja difícil, mas é quase sempre um prazer.

Se você está atrás de como fazer a sua Transição para a cultura Sustentável:

entre em contato conosco:

www.transitionculture.org

permacoletivo@hotmail.com

Um comentário sobre “Relocalização Mundial

  1. A competição entre os “ganhos financeiros” com a exploração dos “recursos naturais”, e, ou, exploração mitigada com a preservação de muitos desses mesmos “recursos naturais”, ainda, pelo menos, até então, tem sido muito injusta. Sempre a balança fica pedente para o lado financeiro. No momento só consigo divisar isso; mesmo quando as empresas usam ou alardeiam a questão ambiental, sabemos que a maioria esta apenas fazendo “marketing”, vendendo sua imagem para o público.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s